História Militar

Engenheiros no DIA D: O batalhão 254a em Combate.  “A água gelada molhou todo o uniforme e a areia grudava sem perdão no tecido. Em um dia normal isto seria um pequeno empecilho, mas naquele dia os soldados mal sentiam todo o desconforto dos ossos enregelados e da boca cheia de areia. O barulho era ensurdecedor, o inferno parecia estar na terra. Bombas zuniam de um lado para o outro e gritos eram ouvidos sem parar.(…)

Tenente Hugo Alves Correa: um comandante de pelotão na FEB.
“Os homens corriam enquanto a Artilharia bombardeava o alto do morro. Se houvesse um observador naquelas encostas naquela manhã certamente ele conseguiria ouvir, mesmo com o ensurdecedor barulho do bombardeio, a respiração ofegante de homens que subiam metro por metro a íngreme encosta da cota 722. (…)

ESTUDO DE CASO: Purple Heart nomeada – Soldado George L. Owens Jr.
“Este exemplar está nomeado a George L. Owens Jr., soldado de infantaria do 2º Batalhão, ligado ao QG do batalhão, 351º Regimento de Infantaria do Exército americano, 88ª Divisão de Exército. (…)”

O Desembarque do 10 Escalão da FEB em Nápoles.
“O dia estava claro e ensolarado. Fazia calor. Os homens desembarcavam um a um, praças e oficiais carregando suas bagagens. Depois de quase 15 dias a bordo do transporte de tropas, a sensação de se pisar em terra firme foi descrita por alguns veteranos de forma curiosa.(…)”

Leave a Reply